O be-a-bá da missão

mission1

Embora possa parecer uma opção atraente retornar ao modernismo cristão, muitos líderes da igreja sentem que é necessário compreender as mudanças de geração, alcançar as novas gerações e ir ao encontro delas onde elas estão. […] A igreja sente uma forte necessidade de mudança, mas ainda não sabe exatamente como fazer isso sem que se perca a essência da fé ou se destrua a unidade da igreja. […]

Para que a missão seja cumprida, é preciso uma boa quantidade de três elementos que nem sempre são vistos na mesma pessoa ou instituição:

1. Uma experiência viva com Deus, como indivíduos e como igreja.

2. Uma abordagem renovada, exegética, da Bíblia. Precisamos descobrir em que medida a nossa compreensão bíblica foi moldada pelas cosmovisões ocidentais e modernistas.

3. Um desejo autêntico de aprender sobre a realidade e as mudanças que estão acontecendo no mundo. Devemos ser capazes de discernir a atuação de Deus no mundo, para que possamos aplicar a Palavra de Deus de maneira apropriada.

Jon Paulien, Everlasting Gospel, Ever-changing World: Introducing Jesus to a Skeptical Generation (Boise, ID: Pacific Press, 2008), p. 82-83.