The Record Keeper

Publicado em 14/04/2014 por Matheus Cardoso como Igreja, Missão

Sinto-me obrigado a comentar o recente cancelamento de “The Record Keeper”, websérie on-line. Antes de questionar a decisão oficial e seu raciocínio, quero deixar bem claro que o problema não está com a Associação Geral. A solução seria muito mais simples se esse fosse o ponto. A questão real é muito mais profunda.

Primeiro, disseram que havia “problemas teológicos” com “The Record Keeper”. Mas isso não é motivo para cancelá-la, e por duas razões principais. Nos últimos 50 anos tenho participado de muitas séries evangelísticas. Pode até ter havido um ou dois que apresentaram uma ‘teologia impecável’, mas eu não me lembro deles. Lembro-me das muitas vezes em que me encolhi com algumas das declarações feitas. E dos púlpitos adventistas? Nem me pergunte…

No entanto, eu me lembro de algumas classes da Escola Sabatina que ensinei há 40 anos, e que eu gostaria de tê-las de volta. Meu entendimento da Bíblia, e, consequentemente, a minha teologia, sofreram mudanças significativas. Por falar nisso, quem conhece bem os escritos de Ellen White pode ver grandes mudanças na ênfase de certos aspectos durante sua vida e até mesmo reversões completas. Lembra-se da porta fechada? E do início de sábado às 18 horas?

Somos uma igreja grande e diversificada. Nós somos humanos! Não conseguimos fazer tudo exatamente certo. E é assim mesmo. Deus Se lembra de que somos pó. Nós é que nos esquecemos disso.

Apenas para que ninguém perde o ponto: estou argumentando que “problemas teológicos” não constituem a verdadeira razão do cancelamento. Se assim o fosse, as coisas iriam ser canceladas por todos os lados na igreja. Problemas teológicos é o pretexto. Mas mais uma vez, eu não estou culpando a Associação Geral.

O real problema é tentar servir a dois senhores. Do pouco que eu vi de “The Record Keeper”, não tenho dúvidas de que seria um excelente veículo para atingir um público específico. Esse público não estaria consciente dos problemas teológicos. Que bênção seria se eles pudessem ser ganhos para Cristo e tornar-se conscientes desses problemas! Eu não iria reter o meu poço de água para uma pessoa que está morrendo de sede porque a água contém alguma substância não purificada e não é muito saborosa. Uma vez que estão hidratados, eles podem se tornar conhecedores de água.

O problema são os membros da igreja: você e eu. Nós elegemos a Associação Geral. E “The Record Keeper” não corresponde aos gostos da igreja norte-americana, onde mais da metade dos membros tem mais de 50 anos de idade; nem corresponde aos gostos de um terço da igreja mundial, onde pessoas com mais de 50 anos usam abordagens do século 19. Dez anos atrás eu descrevi o dilema que a igreja enfrenta hoje:

Pastores e administradores [estão] numa tensão entre alcançar o perdido e acalmar os santos. Se permitirmos a música contemporânea, perdemos os membros mais velhos; se não o fizermos, perderemos os jovens! Os membros mais velhos dão mais apoio financeiro para a igreja do que os mais jovens. Se os membros mais velhos vão, o seu apoio financeiro vai com eles. A igreja deve receber apoio financeiro para sobreviver. Mas, se não atingir o jovem e os sem-igreja, não temos razão de existir (“Dead Languages”, Adventist Review, 2004).

A Associação Geral encontra-se na mesma situação. As ferramentas que usamos por muitos anos não são eficazes com os ricos nem com as audiências contemporâneas com nível de escolaridade elevada. Será que “The Record Keeper” teria sido? Muitos pensam que sim. Talvez nunca venhamos a saber. A verdadeira tragédia é que ela prejudica seriamente a probabilidade de novas experiências. Nunca iremos encontrar ferramentas eficazes sem experimentar. Às vezes podemos até falhar, mas, se nunca experimentarmos, o fracasso é garantido.

O problema não é a Associação Geral. O problema é uma membresia autossatisfeita que se recusa a mover-se fora de sua zona de conforto. Irônico, não é? Como a Testemunha Fiel e Verdadeira do Apocalipse disse sobre Laodiceia [Ap 3:14-22], ela nos diz também: o nosso conforto é o nosso problema!

Ed Dickerson, mestre em educação religiosa (Andrews University, EUA), é plantador de igrejas, professor e pioneiro de homeschooling (ensino doméstico). Ele é o fundador e diretor-executivo de Grounds for Belief, um ministério especializado em apresentar a mensagem bíblica a jovens seculares e pós-modernos. Entre seus muitos artigos e vários livros, destaca-se Grounds for Belief: The place brought them together. The discussion changed them forever (Nampa, ID: Pacific Press, 2007), um livro em formato de diálogos que apresenta os principais temas bíblicos à geração atual. Esse artigo foi publicado originalmente como “‘The Record Keeper’ and Two Masters”. Traduzido por Bruno Ribeiro Nascimento.