Templo = igreja, sacerdotes = pastores?

Publicado em 11/08/2014 por Matheus Cardoso como Bíblia, Igreja

Muitos cristãos acreditam que o santuário/templo do Antigo Testamento corresponde à ‘igreja’ (prédio) e que os sacerdotes israelitas correspondem aos pastores. No entanto, essa ideia é contrária aos ensinamentos do Novo Testamento. Por isso, ela é corretamente rejeitada pelas igrejas evangélicas em geral, inclusive a IASD. Acompanhe um resumo do que o Novo Testamento ensina sobre o assunto.

Santuário/templo

  • Na nova aliança, o santuário/templo físico desaparece

Todavia, o Altíssimo não habita em casas feitas por homens (At 7:48).

  • No Céu, há o santuário celestial (que já existia nos tempos do Antigo Testamento)

O mais importante do que estamos tratando é que temos um sumo sacerdote como esse [Jesus], o qual Se assentou à direita do trono da Majestade nos céus e serve no santuário, no verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, e não o homem (Hb 8:1-2).

Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; Ele entrou nos céus, para agora Se apresentar diante de Deus em nosso favor (Hb 9:24).

  • Na Terra, o santuário/templo são os cristãos individuais e a comunidade cristã

Vocês não sabem que são santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vocês? […] O santuário de Deus, que são vocês, é sagrado (1Co 3:16-17).

Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? (1Co 6:19).

Sacerdotes

  • Cristo é nosso Sumo Sacerdote no santuário celestial

Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos (Hb 4:14).

Visto que vive para sempre, Jesus tem um sacerdócio permanente. […] É de um sumo sacerdote como este que precisávamos: santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado acima dos céus (Hb 7:24, 26).

  • Todos os cristãos são sacerdotes

Vocês também estão sendo utilizados como pedras vivas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdócio santo, oferecendo sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo. […] Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas dAquele que os chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz (1Pe 2:4-5, 9).

Jesus Cristo […] nos constituiu reino e sacerdotes para servir a Seu Deus e Pai (Ap 1:5-6).

Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com Teu sangue compraste para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação. Tu os constituíste reino e sacerdotes para o nosso Deus, e eles reinarão sobre a Terra (Ap 5:10).

Felizes e santos os que participam da primeira ressurreição! A segunda morte não tem poder sobre eles; serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com Ele durante mil anos (Ap 20:6).

O que significa ser um sacerdote?

Martinho Lutero ensinava corretamente que:

  • podemos ir diretamente a Deus, sem a mediação da igreja, sacerdotes, sacramentos, boas obras, santos etc. (Jo 14:6; Hb 10:19-20);
  • todos os cristãos, e não apenas um grupo privilegiado, são espirituais (Jo 3:6; Rm 8:9, 14; 1Pe 2:5);
  • o batismo nos torna iguais (Jo 3:6; Gl 3:26-29; Cl 3:9-11);
  • cada cristão recebe um dom/ministério/vocação, mas nenhum destes é superior ao outro (1Co 4:1-2; 12:4-12; Ef 4:11-16).

Mesmo em relação aos diferentes dons espirituais:

  • não é determinado dom que torna alguém espiritual;
  • nenhuma vocação (ou dom) é mais sagrada que a outra;
  • não há hierarquia, senão a de serviço;
  • não há lugar para autoritarismo ou arrogância.

Adaptado da palestra “O sacerdócio de todos os crentes”, de Wilson Paroschi, Ph.D. (Andrews University) e professor de Novo Testamento no Unasp.