Perguntas sobre reavivamento – 3

Publicado em 07/02/2014 por Matheus Cardoso como Espiritualidade, Igreja
Tags:

Como lidar com a secularização na igreja e promover um estilo de vida cristão?

“Quando nossa mente é atraída pelas coisas celestiais, quando habitamos em Cristo, então nossos ídolos são crucificados e estamos satisfeitos com o amor de Deus. Mas quão pouco os pensamentos sobre Cristo são trazidos à nossa vida! Quão poucos falam de Jesus! Quão pouco Ele é exaltado!

“Muitos tentam corrigir a vida de outros atacando o que consideram serem hábitos errôneos. Dirigem-se àqueles que acreditam estarem em erro e apontam os seus defeitos. Dizem: ‘Você não se veste como deveria’. Tentam retirar os adornos ou tudo quanto parece ofensivo, mas não tratam de firmar a mente na verdade. Aqueles que buscam corrigir outras pessoas devem apresentar os atrativos de Jesus. Devem falar de Seu amor e compaixão, apresentar o Seu exemplo e sacrifício, revelar o Seu Espírito, e não precisarão sequer tocar no tema do vestuário.

“Não há necessidade de fazer do assunto do vestuário o ponto principal de nossa religião. Há algo muito mais valioso para falar. Fale de Cristo, e, quando o coração estiver convertido, tudo o que não estiver em harmonia com a Palavra de Deus será deixado de lado. Arrancar as folhas de uma árvore viva é trabalhar em vão. As folhas aparecerão novamente. O machado precisa ser lançado à raiz da árvore, e então as folhas cairão para não mais retornarem.

“A fim de ensinar aos homens e mulheres a insignificância das coisas terrenas [isto é, pecaminosas], você deve encaminhá-los à Fonte viva e levá-los a beberem de Cristo, até que o coração deles esteja repleto do amor de Deus, e Cristo seja neles uma fonte de água que jorra para a vida eterna. […]

“Não vá aos seus irmãos para falar das faltas deles, para corrigir seus traços peculiares de caráter. Eduque-os em hábitos melhores pelo poder de seu próprio exemplo. Se você tornar evidente que foi até eles para corrigi-los, só despertará uma atitude combativa, e fará mais dano do que se não tivesse ido. Revele Jesus a eles, para que O vejam e se tornem semelhantes a Ele. Se você cultivar o hábito de detectar faltas e tomar sobre si o dever de corrigir seus irmãos, em breve você não terá outra religião senão a de procurar faltas e encontrar defeitos. […]

“Cristo é nossa justiça. […] Ele tomará os vasos de barro terrenos, os transformará em vasos de honra e glorificará a Si mesmo por meio deles. E, por meio do Seu amor, amaremos os outros como Ele nos amou” (“Christ the Living Fountain”, Signs of the Times, 1° de junho de 1889, p. 2; parcialmente em Evangelismo, p. 272).

“A igreja pode apresentar resolução após resolução para tentar acabar com todas as divergências de opinião, mas não podemos forçar a mente e a vontade e, assim, eliminar o desacordo pela raiz. Essas resoluções podem ocultar a discórdia, mas não podem apagá-la e estabelecer um acordo perfeito. Somente o espírito da tolerância cristã pode trazer unidade à igreja, somente Cristo pode harmonizar os elementos discordantes. Que cada um de nós assente-se aos pés de Cristo e aprenda com Ele, que afirma ser manso e humilde de coração. Cristo diz que, se aprendermos dEle, nossas preocupações cessarão e encontraremos descanso para nossa alma” (Manuscript Releases, v. 11, p. 266).

Perguntas sobre reavivamento – 4