Perguntas sobre reavivamento – 1

Publicado em 06/02/2014 por Matheus Cardoso como Espiritualidade, Igreja
Tags:

Nos últimos anos, muitos adventistas têm debatido as seguintes questões:

1 – Como obter reavivamento e reforma?
2 – Quais são as diferenças entre o verdadeiro e o falso reavivamento?
3 – Como lidar com a secularização na igreja e promover um estilo de vida cristão?
4 – O que é a identidade adventista e como preservá-la?

Neste e nos próximos posts, quero sugerir algumas respostas a essas perguntas, principalmente através de citações de Ellen White.

1 – Como obter reavivamento e reforma?

“Precisa haver um reavivamento e uma reforma, sob a ministração do Espírito Santo. Reavivamento e reforma são duas coisas diferentes. Reavivamento significa renovação da vida espiritual, um despertamento das habilidades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas ideias e teorias, hábitos e práticas” (Mensagens escolhidas, v. 1, p. 128).

“Um reavivamento da verdadeira piedade [isto é, espiritualidade] entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades. Buscá-lo, deve ser nossa primeira tarefa. […] Por meio de confissão, humilhação, arrependimento e fervorosa oração, devemos cumprir as condições estabelecidas por Deus em Sua promessa para conceder-nos Sua bênção. Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração. […]

“Temos esperança de ver toda a igreja reavivada? Esse tempo nunca virá. Existem na igreja pessoas não convertidas, e que não se unirão em oração fervorosa e prevalecente. Precisamos desenvolver esse trabalho individualmente. Devemos orar mais e falar menos” (Mensagens escolhidas, v. 1, p. 121-122).

“Deus nos chama a um reavivamento e uma reforma. As palavras da Bíblia, e da Bíblia somente, deveriam ser ouvidas do púlpito. Mas a Bíblia tem sido despida de seu poder, e o resultado é ausência de vigor espiritual. Em muitos sermões de hoje não existe aquela manifestação divina que desperta a consciência e traz vida à alma. Os ouvintes não podem dizer: ‘Não estava queimando o nosso coração, enquanto Ele nos falava no caminho e nos expunha as Escrituras?’ (Lc 24:32). Muitos estão clamando pelo Deus vivo, ansiando pela presença divina. Permitam que a Palavra de Deus fale ao coração deles. Deixem que os que têm ouvido apenas tradições, teorias e ensinos humanos ouçam a voz dAquele que pode renová-los para a vida eterna” (Profetas e reis, p. 626).

“As necessidades urgentes de nossa época exigem contínua educação na Palavra de Deus. Essa é a verdade presente. Deve ocorrer em todo o mundo uma reforma no estudo da Bíblia, pois ela é agora mais necessária do que nunca. À medida que essa reforma progredir, será realizada uma poderosa obra. Deus foi muito claro quando disse que Sua Palavra não voltaria para Ele vazia” (Testemunhos para a igreja, v. 6, p. 131).

“Precisamos também de muito mais conhecimento; precisamos ser esclarecidos sobre o plano da salvação. Não existe um entre cem [na igreja] que compreenda por si mesmo a verdade bíblica sobre esse assunto, tão necessário ao nosso bem-estar presente e eterno. Quando começa a brilhar a luz, para tornar claro ao povo o plano da redenção, o inimigo opera com todo o empenho, para que a luz seja excluída do coração humano. […] Há grande necessidade de que Cristo seja pregado como a única esperança e salvação. Quando a doutrina da justificação pela fé foi apresentada na reunião de Roma [Nova York], ela foi para muitos como água ao viajante cansado” (Mensagens escolhidas, v. 1, p. 360).

“Exaltem a Jesus, vocês que ensinam o povo, exaltem-nO nos sermões, em cânticos, em oração. Que todas as suas forças se unam para dirigir ao Cordeiro de Deus as almas confusas, extraviadas, perdidas. Ergam o Salvador ressuscitado e digam a todos que os ouvem: ‘Venham Àquele que os amou e Se entregou a Si mesmo por nós [Ef 5:2]’. Que a ciência da salvação seja o tema central de todo sermão, de todo hino. Seja ela manifestada em toda súplica. Não introduzam em suas pregações nada que substitua a Cristo, o qual é a sabedoria e o poder de Deus. Mantenham perante o povo a Palavra da vida, apresentando Jesus como a esperança do arrependido e a fortaleza de todo cristão. Revelem o caminho da paz ao coração perturbado e oprimido, e manifestem a graça e a suficiência do Salvador” (Obreiros evangélicos, p. 160).

Perguntas sobre reavivamento – 2