Os adventistas e a Trindade (Brasil)

Publicado em 28/02/2014 por Matheus Cardoso como Teologia

Em 2011, escrevi para a Revista Adventista um artigo de capa intitulado “Os pioneiros adventistas e a Trindade” (agosto de 2011, p. 8-11). Uma das mais intensas discussões teológicas entre os adventistas na última década – ao menos nos círculos populares – está relacionada à Trindade. Alguns grupos adventistas chegaram à conclusão de que a Trindade não é um ensino bíblico e foi aceito pela igreja somente várias décadas depois da morte de Ellen White, ocorrida em 1915. Os defensores dessa teoria geralmente afirmam que a Trindade começou a ser ensinada nos Estados Unidos na década de 1930 e que ainda na década de 1950 era praticamente desconhecida no Brasil.

Através de ampla pesquisa bibliográfica baseada em fontes primárias – quase todas até então desconhecidas –, concluí que “no início do século 20, o ensino bíblico sobre as três pessoas da Divindade já era considerado um dos ‘principais pontos de fé’ do ‘sistema’ teológico adventista, uma das ‘grandes doutrinas da Palavra de Deus’ e um dos ‘principais pontos de fé’ da igreja. A partir de 1897, tornou-se abundante a literatura adventista sobre a Trindade e a personalidade do Espírito Santo. Não eram declarações incidentais e esporádicas, mas frequentes, extensas e em consenso sobre o assunto. Documentos históricos mostram que, nos primeiros anos do século 20, a Igreja Adventista do Sétimo Dia já tinha uma posição consolidada sobre as três pessoas da Divindade” (p. 11). O artigo completo pode ser lido no site da Revista Adventista ou neste site.

Esta postagem contém uma atualização da pesquisa, agora específica sobre a literatura publicada no Brasil. A Revista Adventista, inicialmente chamada Revista Trimensal (isto é, trimestral), teve seu início em 1906. É importante notar que esse periódico, especialmente nas primeiras décadas, esteve focalizado em artigos de natureza geral, bem como notícias sobre o avanço da obra missionária. Portanto, não encontramos textos frequentes sobre temas doutrinários e teológicos (que eram tratados especialmente em livros). Alguns textos não tratam diretamente da Trindade, mas mostram que os adventistas já naquela época batizavam “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, fato que é negado pelos adventistas que não acreditam na Trindade.

Abaixo estão cópias das principais declarações sobre a Trindade publicadas no periódico entre 1906 e 1940. Cada item é formado pela referência bibliográfica (por exemplo, “Julho de 1920, p. 10”), título do artigo (por exemplo, “A nossa crença”), principal(is) trecho(s) sobre o assunto e autor do artigo (por exemplo, “José Baracat”). Todos os materiais foram retirados do site da Revista Adventista, mencionado acima, e podem ser lidos em seu contexto nessa fonte.

///

Novembro de 1911, p. 1:

18

19

Maio de 1913, p. 1:

21

22

23

Julho de 1920, p. 10:

1

P. 11:

2

Dezembro de 1923, p. 7:

3

4

5

6

Outubro de 1925, p. 13:

7

P. 14:

8

Fevereiro de 1927, p. 1:

9

P. 4:

10

Julho de 1932, p. 2:

11

12

13

Janeiro de 1933, p. 13:

29

30

P. 14:

31

Outubro de 1937, p. 4:

24

25

Janeiro de 1938, p. 5:

26

27

Maio de 1938, p. 4:

28

Fevereiro de 1939, p. 2:

14

15

16

17 

Janeiro de 1922, p. 11:

P. 12:

Novembro de 1926, p. 5:

P. 6:

Dezembro de 1929 (edição especial de Semana de Oração), p. 8:

Outubro de 1935, p. 12:

P. 15:

Maio de 1938 (edição especial de Semana de Oração), p. 13: