Não há solução!

Publicado em 19/04/2016 por Matheus Cardoso como Igreja

“E, chegando Faraó, os filhos de Israel levantaram os olhos, e eis que os egípcios vinham atrás deles, e temeram muito; então, os filhos de Israel clamaram ao SENHOR. Disseram a Moisés: Será, por não haver sepulcros no Egito, que nos tiraste de lá, para que morramos neste deserto? Por que nos trataste assim, fazendo-nos sair do Egito?” (Êxodo 14:10-11)

Refletindo sobre casos que noto em minha realidade, concluo: não há solução!

Por exemplo, as pessoas não tem a menor condição de distinguir entre um líder que é tão somente um bom orador, um bom administrador, um “cara legal”, de um genuíno pregador do evangelho. Assim, o povo não sabe e não tem como cobrar dos líderes; por isso, os líderes se acomodam ainda mais; consequentemente, geram mais pessoas que não sabem cobrar; que geram mais líderes acomodados; que geram… E a cadeia da ignorância se retroalimenta infinitamente. Um ciclo vicioso que sobrevive da nossa falta de Bíblia, de fé, de evangelho, e que deixa um monstruoso rastro de destruição por onde passa. Afinal, como esperamos ter casamentos, famílias, membros, líderes saudáveis se nos falta o essencial, se nos falta Bíblia?

Israel vibrava a cada maravilha operada pelo grande Eu Sou no meio dos Egípcios, para em seguida voltar-se contra Ele quando as coisas não se mostravam como eles imaginavam. Assim como Israel, nos esquecemos da Palavra de Deus. Assim como Israel, quando Deus aparece diante de nós, gostamos das maravilhas que Sua Palavra opera, mas a usamos apenas como amuleto, caixinha de promessa e símbolo de status espiritual. Deixe que as pessoas (sejam elas liberais ou conservadoras) saibam o que a Bíblia de fato ensina e veja como se voltarão contra ela. Grande parte dos ditos cristãos ama a Bíblia que criaram para si, mas odeia a Bíblia que Deus lhes deu. Em alguns casos, apenas peça gentilmente a um professo cristão a base bíblica para determinada prática e ganhe um inimigo.

Não à toa, os divórcios estão cada vez mais banais, a apostasia cada vez mais em alta e o materialismo e alienação entre os que ficam só tende a aumentar. É a Escritura que é “útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” (2 Timóteo 3:16). Se não temos as Escrituras, estaremos cada vez mais sem ensino, incorrigíveis e deseducados acerca de tudo o que justo. Não temos como esperar nada diferente disso. É ladeira a baixo. A saúde de uma igreja está no evangelho. Se as pessoas sequer sabem o que é isso (e, não, não sabem) a tendência é vermos igrejas cada vez mais adoecidas. Não é brincadeira. Espere pelo pior.

Por essas e muitas outras, creio que um reavivamento só poderá vir como fruto de uma grande intervenção sobrenatural divina. O quadro geral é completamente desesperador. Israel teve de chegar diante da desesperadora situação de ter um vasto mar diante de si e egípcios furiosos em seu encalço a fim de que, quando Deus operasse, ninguém em são juízo pudesse alegar que o povo escapou por qualquer ação humana. Da mesma forma, quando Deus decisivamente intervir, ficará acima de qualquer suspeita que não foi esforço, talento nem sabedoria humana, mas a mão do Todo-Poderoso que, no tempo exato, decidiu cabalmente agir.

“Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do SENHOR que, hoje, vos fará; porque os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis. Disse o SENHOR a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem” (Êxodo 14:13-15).

Às vezes, perco as esperanças, já que vejo um quadro desesperador e que só tende a piorar. De fato, esqueço por alguns instantes que Deus está no controle e que aquilo que, aos meus olhos, parece desesperador é, na verdade, a permissão divina para que as peças se encaixem dando lugar à ação miraculosa que Ele pretende operar. É confortante o apoio e desabafos durante o caminho; só não há necessidade de abandonar a estrada, pois, por mais confusa que pareça a situação, tudo está sob o controle dAquele que não falha, daquele que sustém o Universo em Suas mãos.

Às vezes parece que simplesmente não temos a quem recorrer. E isso é ótimo! Dizem que a noite é mais escura quanto mais próximo o raiar do dia. Precisamos chegar a um ponto em que não tenhamos mais nada, somente a Deus, pois, somente então, é que teremos tudo o que precisamos.

Seus esforços para ensinar sua igreja local parecem dar em nada? Aprouve a Deus que assim parecesse. Não deixe de se esforçar. Deus arquitetou todo um plano de fuga que os israelitas se esforçaram em cumprir, mas tudo lhes pareceu completamente vão ao depararem com o mar diante de si e os cavalos de faraó já bufando em suas nucas. Não imaginavam que estavam prestes a presenciar um colossal milagre. Embora aprouve a Ele nos deixar ser parte do plano que está para operar; assim como fez ao povo de Israel, quando chegarmos a um ponto de fato crítico em nossa história, o grande Eu Sou salvará o povo dEle sem auxílio de mãos humanas, sem auxílio dos meus e dos seus esforços (e até mesmo apesar deles). E, quando Ele operar, não haverá escusas para descrença. Tudo está se arranjando para que não reste a mínima brecha para confiança própria.

A tipologia de Israel no deserto nos dá indícios de como Deus livrará Sua Igreja. Deus salvando o Israel étnico de uma situação inssolucionável, para a qual os maiores esforços humanos seriam reduzidos a nada, é nada menos do que o evangelho. O próprio Eu Sou dará outra grande demonstração do evangelho aos Seus. Portanto, aquiete-se e veja o livramento que o Senhor fará. O Senhor, mais uma vez, pelejará por Seu povo, então nos calaremos e só abriremos novamente a boca quando em segurança, cantarmos: “O SENHOR é a minha força e o meu cântico; Ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto, eu o louvarei. […] Com a tua beneficência guiaste o povo que salvaste; com a tua força o levaste à habitação da tua santidade” (Êxodo 15:2, 13).

A situação é angustiante? Ficará pior. Só Ele para solucioná-la. Não faço a menor ideia de como Ele fará, só sei que Ele fará. Peço apenas que, conforme a Sua infinita graça, eu possa fazer parte disso e, até lá, continuar marchando.

(Vanedja Cândido)